Como funciona o 5D no processo BIM

5D BIM
Powered by Rock Convert

BIM é abreviação de Building Information Model, que consiste em um modelo virtual de uma edificação, com objetivo de conter informações sobre determinada edificação durante todo o ciclo de vida de uma edificação. Desse modo, consiste em um modelo complexo, que representa a edificação como um todo. Além disso, ele pode ser dividido em várias dimensões: 3D, 4D, 5D, 6D e 7D.

Com o objetivo de aumentar o seu conhecimento sobre o BIM, fizemos este breve artigo falando um pouco sobre o 5D no processo BIM, o que se trata e quais são as suas vantagens e influências na gestão do orçamento de uma obra. Continue lendo este artigo e saiba tudo sobre a dimensão 5D no processo BIM!

Por que o BIM surgiu? Para que servem suas dimensões?

Durante muito tempo, as edificações eram construídas de forma empírica. Mesmo os grandes palácios e obras da antiguidade eram resultados de esforços baseados em tentativa e erro e fatores culturais. Esse fato perdurou mais ou menos até a idade média. Mesmo grandes igrejas góticas, como a Catedral de Notre-Dame, em Paris, eram construídas por meio do conhecimento adquirido na prática, sem métodos científicos para a construção.

Desse modo, eram comuns os erros e até mesmo acidentes em obras, uma vez que não se tinha uma pré-visualização técnica da construção. A partir do Renascimento, por volta do século XV E XVI, iniciou-se um processo de confecção de plantas técnicas antes de executar determinada obra. Posteriormente, com o advento da modernidade e a modernização da construção civil, as plantas técnicas se tornaram uma realidade.  

Contudo, consistiam em uma pequena informação sobre a construção, sendo as plantas baixas um corte transversal na edificação e os cortes uma seção longitudinal da mesma. Mesmo tecnologias recentes, como o AutoCAD, faziam basicamente isso. As maquetes eletrônicas eram feitas apenas acompanhando as indicações, mas não tinha uma ligação intrínseca, tampouco compatibilidade. Tudo isso deveria ser feito manualmente.  

O BIM veio para revolucionar essa questão. De uma hora para outro, você não apenas fazia desenhos em 2 dimensões em uma prancha eletrônica, mas desenvolvia um modelo digital da edificação, em que é possível obter informações da maquete eletrônica e das plantas de corte e baixas ao mesmo tempo (além de outras plantas, como cobertura, etc.). Dessa maneira, é uma reprodução da edificação em modo virtual.

Para otimizar essa questão, é preciso conhecer as diversas esferas do BIM: 3D, 4D, 5D, 6D e 7D. O 3D, como o próprio nome sugere, trata sobre a representação tridimensional da edificação. A dimensão 4D trata sobre a análise de duração. A dimensão 5D sobre as análises de custos — e sobre ela nos aprofundaremos nos tópicos seguintes. A dimensão 6D trata sobre a avaliação de sustentabilidade, tão pertinente nos dias atuais. Por fim, A dimensão 7D trata sobre a gestão da construção.

Como funciona o 5D BIM?

A dimensão 5D do BIM tem como objetivo realizar a estimativa de custos de uma determinada edificação. Dessa maneira, o BIM é utilizado para criar e coletar uma série de quantidades precisas de informações, formando assim o orçamento para todo o ciclo de vida de um projeto.

Assim, o BIM é uma ferramenta tecnológica que aceita que projetistas, engenheiros de custos e demais profissionais de construção civil a obter informações e dados precisos e detalhados sobre a construção. Estas informações e dados são necessários para elaborar um orçamento, levantando os custos do projeto.

A variável econômica é introduzida no modelo tridimensional para avaliar os custos do projeto da edificação e da obra. Com isso, torna-se mais fácil prevê-los e controlá-los, assim como estimar as despesas inerentes às obras. Para tal, é necessário atribuir um preço a cada material introduzido na obra.

Posteriormente, o modelo de informação é utilizado em vez de desenhos técnicos. Com isso, é possível obter levantamentos, quantitativos e cálculos diretamente a partir do próprio modelo digital produzido no BIM.

O BIM 5D portanto, conecta o modelo digital da edificação (o seu 3D e as plantas técnicas derivadas dele) com as estimativas e processos de custos. Com esta integração, é possível acelerar e melhorar o projeto da edificação, especialmente em o planejamento dos custos e orçamento.

Powered by Rock Convert

Por ser uma reprodução da obra real em um modelo digital, as informações contidas são sempre consistentes com o projeto, o que aproxima muito a previsão lançada com o que realmente é gasto na obra, o que sabemos é um ponto positivo em um ambiente de incertezas como uma construção. Contudo, é necessário considerar outros pontos para obter uma gestão do orçamento mais satisfatória ainda.

Quais as vantagens do 5D BIM para o planejamento do orçamento?

Entre os principais benefícios que a utilização da dimensão 5D proporciona a uma gestão de orçamento de uma obra, podemos destacar:

  • Rapidez no cálculo dos custos: como o BIM utiliza as informações de maneira integrada, torna-se mais fácil e rápido a execução dos cálculos pertinentes ao orçamento;
  • Controle e análise de custos: como cada detalhe do orçamento é monitorado e rastreado, é possível obter maior precisão sobre o cálculo e controle dos custos da obra;
  • Economia: talvez o mais importante benefício seja a economia tanto de custos e recursos humanos. Isso ocorre por conta do maior controle e velocidade no processamento de informações dos custos, assim como menor trabalho exigido para executar o orçamento.

Outro ponto importante a comentar sobre o BIM 5D é sobre o seu efeito sobre os processos de tomada de decisão e planejamento da obra. Isso acontece por conta do compartilhamento de informações no modelo BIM, que permite a colaboração entre todos os elementos evolvidos no processo de construção. Desse modo, a dimensão 5D do BIM permite monitorar de forma constante os custos da obra.

Além disso, abre-se a possibilidade de realizar, de forma mais simples e prática, a alteração no orçamento da obra, de acordo com as integrações planejadas e necessidades do cliente.

Também é importante frisar que a dimensão 5D do BIM leva a uma maior previsibilidade e precisão nos custos da edificação, assim como a quantidade de materiais, alterações nas quantidades de materiais e elementos construtivos. Com isso, abre-se a possibilidade para a criação de edificações mais acessíveis, eficientes e sustentáveis economicamente.

Assim sendo, o BIM é uma ferramenta extremamente importante para a gestão de obra nos dias atuais. Por gerar um modelo 3D da edificação, ele é muito atrelado, erroneamente, a um software que une a maquete eletrônica às plantas técnicas. Mas ele é muito mais que isso, agindo sobre outros fatores como a gestão de obra e o orçamento, como podemos observar sobre a dimensão 5D do BIM.

Não perca mais tempo e implemente a dimensão 5D BIM na sua empresa de construção!

Agora que vocês já sabem como funciona o 5D no processo BIM, saiba como utilizar o plugin do Orçabim para otimizar os processos de construção na sua empresa!


Melhore sua gestão orçamentária

O OrçaFascio é considerado por arquitetos, engenheiros e construtores como o maior e melhor software de orçamento de obras para construção civil. A plataforma congrega ferramentas imprescindíveis para seu orçamento independente de seu tamanho ou complexidade arquitetônica.

incluindo as principais bases de composições nacionais e do seu estado como, SINAPI da Caixa Econômica Federal, SBC e SICRO.

As principais instituições pública e privadas utilizam o OrçaFascio devido à sua praticidade, com interface otimizada para a execução do orçamento 8x mais rápido. Assim, você conquista tempo e evita desperdício financeiro pela eficácia na gestão orçamentária. Experimente grátis o módulo Premium por 7 dias e comprove.

Experimente o modulo PREMIUM grátis por 7 dias

Gostou deste artigo que preparamos para você sobre gestão de fornecedores? Então entre em contato. e adquira já o ORÇAFASCIO.



Compartilhar

Posts relacionados

Posts em destaque

Menu