Entenda como funciona a SINAPI

Tabela SINAPI

Powered by Rock Convert

Conheça os principais índices de insumos e composições da tabela SINAPI, como fazer o calculo de preços e reduzir os custos nos orçamentos de obras usando sistemas de orçamento de obras.

O que você precisar saber sobre a SINAPI.

Construir uma obra passa por inúmeras etapas: planejamento, contratação de mão-de-obra, aquisição de materiais, execução, acabamento, entre outros fatores.

Mas, um elemento primordial no começo da construção é o orçamento – é ele quem ditará quais valores e o que será empregado, dando uma visão ampla e espacial acerca do empreendimento.

Para que tudo esteja em conformidade quando o assunto é construção de uma obra pública, a Caixa Econômica Federal em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), criou o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI), que estabelece, segundo o próprio banco estatal, a forma legal de orçamentos para obras públicas, entre outras disposições.

Esse tipo de sistema, apesar de estar voltado à administração pública, tornou-se ferramenta para engenheiros, arquitetos, além de incorporadoras e construtoras da sociedade civil.

O banco de dados da SINAPI, disponibilizado pela Caixa, mostra as especificações de insumos, composições de serviços e orçamentos de referências, como explica o site da instituição financeira.

Já o IBGE é responsável pela tabela mensal que irá mostrar os preços dos 26 estados – mais o Distrito Federal – formação de índices e tratamento de dados, tornando-se o mais completo banco de informações para orçamentos do país.

Especificidades da SINAPI

O Sistema é regido pelo Decreto nº 7.983, de 2013, que “estabelece regras e critérios para elaboração do orçamento de referência de obras e serviços de engenharia, contratados e executados com recursos dos orçamentos da União”.

Com essa função, periodicamente o próprio site da SINAPI disponibiliza os valores de mão-de-obra, equipamentos e materiais em todos os estados brasileiros. Contém informações desde julho de 2009 através de arquivos em PDF e planilhas do Excel, além de outros inúmeros documentos que podem ser consultados no site do Sistema, hospedado na página da Caixa Econômica Federal.

Há características específicas informadas, de maneira resumida e de fácil acesso – para quem não tem familiaridade com o assunto a SINAPI explica os termos – para consulta de onde estiver.

Por exemplo, insumos e composições passam por três etapas para definir o preço do item consultado: coletado (C), coeficiente de representatividade (CR), e, especificamente para o estado de São Paulo, preço do insumo (AS).

Na mão-de-obra, há três itens: Encargos Sociais, Não Desonerado e Desonerado, com métricas específicas para encargos diários (horas) ou mensais, apresentados no cabeçalho do relatório.

Com uma metodologia específica, há outras informações que podem ser requisitadas para quem quer compor o orçamento através do SINAPI – novamente, o site da Caixa disponibiliza um arquivo com a metodologia utilizada para chegar aos valores estabelecidos pela união entre o banco estatal e o IBGE.

Insumos e composições

Para quem é engenheiro, arquiteto, gerente de incorporadoras ou construtoras, os insumos e composições são os principais índices a serem verificados no Sistema disponibilizado pela SINAPI.

No caso dos insumos, há quatro dados: código, descrição, preço, localidade e origem do preço, de acordo com o estado consultado. Essa é a principal atualização que a Caixa, junto ao IBGE, faz na sua plataforma, buscando trazer de maneira atualizada o preço dos insumos no momento de fazer o orçamento.

Em relação às composições o sistema é parecido, mas possui suas peculiaridades: novas práticas de engenharia que surgem no país são constantemente referenciadas nos arquivos e documentos disponibilizados pelo Sistema da CEF.

Powered by Rock Convert

Eles vêm com dados complementares que apontam os serviços e suas características, além de critérios quantificados e, na aferição, complementados pelas normas. Todos disponíveis em cadernos técnicos que facilitam a vida de quem utiliza a plataforma – e, novamente, até para quem não conhece muito sobre o assunto.

Como fazer o cálculo de preços?

Conhecendo essa ferramenta fundamental no orçamento dos empreendimentos realizados no Brasil, esta é a hora de entender como é possível orçar através dos inúmeros dados que eles trazem.

E isso é mais fácil do que você imagina: a própria SINAPI oferece orçamentos de referências para que você possa entender quais insumos e composições integram uma planilha hipotética na construção de determinado empreendimento.

A Caixa apresenta três tipos de tipologia: Edificação, Pavimentação e Saneamento, permitindo uma análise completa do orçamento.

Assim, se você ainda não conhece todos os detalhes que esse referencial de preços traz para os inúmeros profissionais de engenharia e construção – e até mesmo para uma pessoa física que não entende do assunto – a própria SINAPI dá um ‘empurrão’ para que você possa ficar ainda mais familiarizado com o assunto.

Tudo isso envolve as etapas da obra de ponta a ponta: da contratação dos profissionais ao acabamento, de forma rápida e dinâmica, com apenas o acesso e conexão à internet.

Reduza custos com a SINAPI

Conhecendo como funciona o Sistema de precificação da Caixa Econômica Federal para orçamento de obras, você pode adotar medidas que irão te ajudar a reduzir custos.

O principal ponto é que você não precisa mais ficar preso ao seu estado de origem para a compra de materiais, pois um bom cálculo de ‘custo x entrega’ de locais próximos ao seu poderá contribuir para uma boa economia.

Como exemplo, se você mora no Paraná e vê que determinados materiais em Santa Catarina apresentam variação de até 10%, com um valor pequeno para a entrega, poderá fazer isso utilizando a SINAPI.

Mas, é bom ficar atento: o Sistema da Caixa e do IBGE, por si só, pode despender muito tempo. Por isso é preciso encontrar ferramentas que facilitem seu trabalho e não deixem que você cometa erros por excesso de informações.

E, neste caso, um software de engenharia para orçamento, como da OrçaFascio, pode ser o diferencial para a redução de custos e agilidade da sua obra.

Com 56 mil composições e integrado ao banco de dados da SINAPI, a OrçaFascio já trabalha com empresas públicas que utilizam o Sistema como referencial: Exército Brasileiro, Polícia Federal, Universidade de Brasília e Receita Federal são alguns dos clientes presentes no portfólio da principal empresa de software para orçamentos do país.

Com os dados da SINAPI e a plataforma da OrçaFascio, orçar sua obra pode ser mais dinâmico, rápido e seguro.

Ainda não usa o Orcafascio.com para elaborar orçamentos de suas obras? Solicite uma demonstração GRÁTIS e ganhe 7 dias para testar.

Fale com um especialista Orcafascio

😁 Gostou? Deixe seus comentários.

Related Post