Conheça os principais riscos nas obras

Canteiro de obra

Veja como evitar os principais acidentes que acontecem no canteiro de obras.

A construção civil é um dos principais setores da economia nacional. Ela movimenta bilhões de reais no Brasil todos os anos, empregando milhões de pessoas e sendo primordial para que o país avance em infraestrutura. Contudo, com toda essa dinâmica, surge um problema corriqueiro nas obras espalhadas pelo país: os riscos de segurança que os operários enfrentam durante a construção de empreendimentos. O número de acidentes no setor é alto e muito se deve à falta de equipamentos de segurança, necessários, adequados e exigidos por lei. Conheça os principais riscos na obra e como evitar o pior.

1) Quedas
Um dos principais problemas enfrentados na construção civil é a queda de nível. Os acidentes desse gênero, quando são superiores a cinco metros, geralmente são fatais. Isso se deve à falta de equipamento primordiais, como ancoragens e cintos que evitam a colisão com o chão, além de plataformas e andaimes mal estruturados ou defasados.

Engana-se quem pensa que apenas em edifícios isso acontece: há demolições que também podem causar graves acidentes. Para que não haja problemas, além do equipamento necessário para garantir a segurança do trabalhador é preciso que haja um treinamento de acordo com a Norma Regulamentadora 35 (NR-35), que dispõe sobre atividades em altura superior a dois metros.

2) Ruídos
Outro fator extremamente nocivo à saúde do trabalhador são os ruídos em excesso. Uma longa exposição pode causar danos irreversíveis ao operário, principalmente aqueles que trabalham próximos a máquinas que geram uma quantia excessiva de decibéis. Há outro fator que pode contribuir para esse risco iminente na obra: a exposição a produtos químicos – sejam metais, gases ou solventes.

Existe até um termo para esse tipo de situação: a Perda Auditiva Induzida por Ruído Ocupacional. A NR-15 dispõe sobre o período que o trabalhador pode ficar exposto. O limite de tolerância mínimo é de 8 horas com 85 decibéis; o máximo é de 7 minutos com 115 decibéis.

3) Eletricidade
A parte elétrica de uma obra é um risco que muitos operários enfrentam e, se não estiverem equipados de forma adequada, podem sofrer com acidentes fatais. Mas, o principal risco está em exposição a redes elétricas próximas a construção ou fios de eletricidade expostos dentro da própria obra. Por isso, é preciso de uma análise minuciosa antes de qualquer procedimento perto de locais que podem causar choques elétricos nos operários. Para quem trabalha com isso, é preciso certificado NR-10.

4) Quedas de objetos
Um canteiro de obras não para e por isso é necessário a utilização de Equipamento de Proteção Individual (EPI), principalmente para evitar que o operário se lesione seriamente caso algum material cair. Mais do que isso, o canteiro deve conter sinalização de locais com risco de queda de objetos, evitando que acidentes mais graves aconteçam. Para isso, há os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC), como plataformas que impedem que os dejetos atinjam quem está no nível inferior de onde está sendo construído.

5) Uso de máquinas
Quem opera máquinas, como guindastes, retroescavadeiras, entre outros, precisa de um treinamento específico (NR-12) para que seja possível garantir a segurança acima de tudo. Não é incomum que a imperícia ou negligência no uso de máquinas cause acidentes, visto que muitas vezes alguns equipamentos podem se desprender ou até içar o mecanismo.

6) Fogo
O fogo é algo extremamente perigoso num canteiro de obras, mesmo que ele seja utilizado para soldas ou outros tipos de serviços. O Ministério do Trabalho e do Emprego (TEM) proíbe efetivamente a queima de qualquer material no canteiro de obras. Além da imprudência em fazer fogo onde não se deve, este tipo de problema pode surgir de instalações elétricas malfeitas, falha em máquinas e explosão de produtos inflamáveis.

Por isso, um canteiro deve ter todas as medidas de segurança para evitar esse problema, incluindo extintores e acesso a rede de distribuição de água (mas, atenção: não se deve utilizar água se o fogo decorrer de problemas elétricos).

7) Produtos químicos
Quando falamos de produtos químicos nos referimos a uma quantidade considerável de materiais utilizados até em pequenas obras – como cal e cimento. Há, ainda, outros materiais altamente tóxicos e que podem causar sérias queimaduras e até corrosão de partes do corpo. É preciso utilizar EPI específico para realizar este tipo de trabalho, principalmente com metais e gases.

8) Transporte incorreto de materiais
A dinâmica de uma obra muitas vezes faz com que a movimentação de materiais de um lado para o outro cause graves acidentes. É preciso fazer esse procedimento da maneira padrão, utilizando EPI e, se possível, com o auxílio de máquinas. Alguns riscos podem até não ser fatais, mas causam sérios problemas, como queda de objetos pesados sobre um membro ou problemas de coluna devido a longas jornadas de carregamento.

9) Buracos e poços
Para fazer a fundação de um edifício é necessário escavar, criando buracos que muitas vezes podem chegar a profundidades fatais para quem cai. Para evitar isso é preciso tapar os locais que apresentam risco iminente ao trabalhador, bem como a sinalização do local.

10) Pressa
Sim, a pressa é a inimiga da perfeição, já diria o ditado. Quanto mais os operários precisarem trabalhar para cumprir prazos ou receberem bonificações para cumprir metas quase inalcançáveis, isto poderá comprometer a saúde do trabalhador e ainda causa acidentes fatais, como os descritos acima.

11) Fatores pessoais
O que mais causa acidentes e óbitos em obras são fatores do próprio operário. Isto porque todos os itens listados acima podem se dar através de treinamento inadequado, falta de equipamentos fornecidos pela empresa construtora ou meramente fatalidades que não temos como evitar. Porém, se o funcionário não tiver a atenção redobrada em situações de risco, isto pode decorrer de problemas que poderiam ser evitados caso ele se comprometesse com a própria segurança. Por isso, um bom treinamento e até mesmo punições por atividades indevidas devem ser exploradas por quem está gerindo a obra.

Garanta a segurança da sua obra
Os riscos sempre existirão no canteiro de obras. Mas, é possível diminuir ao máximo a estatística de acidentes que debilitam, invalidam ou até matam os trabalhadores da construção civil. Para que nada disso aconteça, o treinamento adequado, sinalização em todos os setores, utilização dos equipamentos de segurança e alguém responsável pela segurança dos trabalhadores são indispensáveis. Assim, sua obra continua sendo um local que emprega e dá esperança de uma vida melhor a todos os funcionários.

Ainda não usa o Orcafascio.com para elaborar orçamentos de suas obras? Solicite uma demonstração GRÁTIS e ganhe 7 dias para testar.

Fale com um especialista Orcafascio

😁 Gostou? Deixe seus comentários.